Menos de 40% dos cristãos praticantes leem a Bíblia

Dados foram divulgados pela Sociedade Bíblica Americana

95 TESES CONTRA A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE

Texto escrito em alusão aos 499 anos da Reforma Protestante

Movimento protestante iniciou dia 31 de outubro de 1517

Martinho Lutero ajudou o mundo a redescobrir a Bíblia

499 anos da Reforma Protestante 2

Série comemorativa aos 499 anos da Reforma Protestante

499 anos da Reforma Protestante 1

Série comemorativa aos 499 anos da Reforma Protestante

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Mangá Eclesiástico é lançado na Comic Con Experience

Produção nacional estreia no mais importante evento de cultura pop do país
por Tiago Abreu


Na Comic Con Experience deste ano, realizada entre os dias 1 a 4 deste mês, foram lançados exemplares do segundo volume do Eclesiástico Mangá, saga que traz temáticas cristãs ao reduto nerd.
A produção é lançada pela editora 100% Cristão que se define, a partir de suas próprias palavras, “a única especializada no Brasil em materiais voltados à temática geek cristã, como quadrinhos, mangás e jogos”.
Eclesiástico Mangá foi escrito por Richarde Guerra, que é coordenador de Juventude da Igreja Batista da Lagoinha, pastor, evangélico professor universitário e pós-graduado em Teologia. As ilustrações, por sua vez, ficaram a cargo de Igor Cicarini, desenhista e pastor, com portfólio extenso o qual abrange, inclusive, a Marvel Comics.
Segundo a editora, a história dá continuidade à saga de um professor jovem e cético que descobre poderes sobrenaturais. Com influências do sci-fi, a obra faz várias referências à conflitos de fé de cristãos e, ainda, apresenta clima de suspense.
“Depois de compreender a existência de um mundo espiritual e as batalhas nele existentes, o Eclesiástico aceita o seu chamado e ingressa em uma batalha épica entre o bem e o mal, com inimigos que usam armas sutis para impedi-lo de realizar sua missão na Terra”, conta o enredo.
Além do novo volume, está à venda um box dedicado para colecionadores. A edição soma as duas edições do mangá, com um design específico. A disponibilidade, além da Comic Con, também é on-line, no site da 100% Cristão.
Fonte: Gospel Prime

sábado, 3 de dezembro de 2016

Filme sobre Gênesis chega aos cinemas em fevereiro

Produção fala sobre idade da Terra e dinossauros
por Jarbas Aragão




Um filme cristão que abordará a historicidade do livro de Gênesis está chegando aos cinemas em fevereiro. Embora documentários nunca consigam ser sucessos de bilheteria, a intenção é divulgar “O Projeto Verdade”. A iniciativa é do Dr. Del Tackett, que passou anos pesquisando as reivindicações históricas do Gênesis em vários campos científicos, incluindo arqueologia, biologia, geologia e astronomia.
O filme se chama “O Gênesis é história?” e será exibido nos cinemas dos Estados Unidos no dia 23 de fevereiro. A produção da Compass Cinema e da Fathom Events tem um objetivo, explica Tackett: “Milhões de pessoas têm dúvidas sobre as origens da Terra e da humanidade”.
“Há pontos de vista contrastantes de nossa história, uma das quais está no livro de Gênesis. A pergunta é: Qual ponto de vista está certo? ‘Gênesis é história?’ apresenta uma defesa de que a Bíblia é historicamente confiável”, afirmam seus produtores ao Christian Examiner.
Thomas Purifoy Jr., que trabalhou na concepção do documentário, afirma que ele pode ser assistido por adolescentes e pessoas que se consideram “leigas” no assunto, uma vez que a apresentação é bem didática e a linguagem, simples.
O filme irá abordar não apenas a precisão histórica de Gênesis, mas também o debate se o mundo foi criado em seis dias literais ou não. Além disso, serão analisados as dúvidas mais comuns sobre os dinossauros e o tempo de formação do planeta.
Após a estreia do filme, o Dr. Tackett vai conduzir um painel de discussão com vários dos cientistas que aparecem na produção.

Não há previsão do longa chegar ao Brasil.

Assista ao trailer:


Fonte: Gospel Prime

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Igreja Acev de Nova Olinda lança bazar beneficente para construção de casa de família do Zabelê

A Igreja Acev de Nova Olinda, começou há alguns meses uma campanha na cidade de Nova Olinda para a construção de uma casa na comunidade do Zabelê para uma família carente daquela localidade, confira aqui um pouco da história da família e do inicio da campanha.
Cartazes da campanha de arrecadação

A construção da casa para a referida família só está sendo possível através da solidariedade dos moradores de Nova Olinda, uma vez que infelizmente, a Igreja não provê de grandes recursos para custear toda a construção, a casa já se encontra em fase de construção como você pode acompanhar nas imagens abaixo. Segundo o Pastor Márcio Muniz responsável pela Igreja de Nova Olinda e pela congregação de Altaneira, tem se encontrado muita dificuldade em conseguir o recurso financeiro necessário para pagar a mão de obra do pedreiro, devido esse problema, a construção encontra-se parada.  Para piorar a situação, a madeira que seria utilizada para fazer a cobertura da casa, foi roubada, com isso, os custos da construção aumentaram muito, uma vez que além de pagar a mão - de - obra, terá que se comprar novamente o material que fora furtado.

Devido toda problemática descrita anteriormente, a Igreja Acev Nova Olinda lançou uma campanha de arrecadação de roupas, calçados, brinquedos e alimentos para realizar um bazar beneficente em prol do término da construção dessa casa, a campanha foi lançada primeiramente nas Igrejas de Nova Olinda e Altaneira, e também via redes sociais Whatsapp e Facebook.

Pedimos encarecidamente a participação de todos, e contamos especialmente como o apoio das comunidades de Nova Olinda e Altaneira para essa campanha, as doações podem ser entregues nas Igrejas Acev das referidas cidades, como também ao Pastor Márcio Muniz em Nova Olinda ( telefone e Whatsapp 88 - 99937-1222) e Vinicius Freire em Altaneira ( telefone e Whatsapp 88 - 99207-9691).
Desde já agradecemos a todos! Que Deus continue abençoando a todos!










quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Pesquisador comprova que hebraico é o alfabeto mais antigo do mundo

Relatos traduzidos agora mencionam figuras bíblicas
por Jarbas Aragão

Hebraico é o alfabeto mais antigo do mundo

O alfabeto mais antigo do mundo, inscrito em tábuas de pedra em vários locais egípcios, era uma forma primitiva de hebraico, conclui um novo estudo publicado na revista científica ScienceNews.
O material foi divulgado pelo arqueólogo e especialista em epigrafes Douglas Petrovich, da Universidade Wilfrid Laurier, no Canadá. Israelitas que viviam no Egito transformaram os hieróglifos daquela civilização em um proto-hebraico mais de 3.800 anos atrás. Isso reforça as narrativas do Antigo Testamento que descrevem os judeus vivendo no Egito naquela época.
Os hebreus procuravam uma maneira de se comunicar por escrito com outros judeus egípcios. Para isso, simplificaram o complexo sistema de escrita hieroglífica dos faraós, estabelecendo as 22 letras que formariam um alfabeto. Essa é a tese de Petrovich, apresentada semana passada e que fazem parte do livro The World’s Oldest Alphabet [O Alfabeto Mais Antigo do Mundo], que detalha seus achados.

“Há uma conexão entre os textos egípcios e os alfabetos mais antigos preservados”, disse Petrovich. As origens da escrita em diferentes partes do mundo – incluindo a do alfabeto esculpido nas lajes egípcias – têm gerado debates há muito tempo.

Um estudioso alemão havia identificado semelhanças do hebraico com a antiga escrita egípcia na década de 1920. Mas ele não conseguiu identificar muitas letras desse alfabeto, levando a traduções implausíveis, que foram rejeitadas pelos especialistas.
Petrovich diz que sua grande chance veio em janeiro de 2012. Enquanto realizava pesquisas no Museu Egípcio no Cairo, ele encontrou a palavra “Hebreus” em um texto de 1874 a. C. O material incluía a letra alfabética mais antiga conhecida. De acordo com o Antigo Testamento, os israelitas passaram 434 anos no Egito, entre 1876 e 1442 a. C.
Na comunidade científica em geral há uma resistência em se admitir os textos das Escrituras como fatuais. A maioria dos estudiosos afirma que as datas bíblicas da permanência dos israelitas no Egito “não são confiáveis”.

Inscrições em uma antiga laje de pedra (à esquerda) foram identificadas como hebraico e traduzidas. Um desenho das inscrições na laje (à direita) mostra as letras hebraicas antigas ao lado das correspondentes letras hebraicas modernas (verde).
O texto diz “O que foi elevado está cansado de esquecer”. Na parte superior lê-se “O superintendente de minerais, Ahisemach”.

Figuras bíblicas

Douglas Petrovich usou as combinações de letras ou identificações anteriores do alfabeto antigo e as comparou com suas próprias identificações de letras que constituiriam o proto-hebraico. Armado com esse alfabeto incipiente, ele traduziu 18 inscrições de três locais diferentes no Egito.
Não por acaso, o nome de várias figuras bíblicas apareceram nas inscrições traduzidas: Yossef [José], que se tornaria uma poderosa figura política no Egito;  Asenath [Azenate], a esposa de José e o seu filho Manasseh [Manasses], que daria origem a uma das tribos de Israel. Moshe [Moisés], que levou os israelitas para fora do Egito, também é mencionado, diz Petrovich.
Outra inscrição, datada de 1834 a. C. diz “O vinho é mais abundante do que a luz do dia, do que o padeiro, do que um nobre.” Esta declaração provavelmente significava que, naquela época ou pouco antes, a bebida era abundante.
Petrovich lembra que a data coincidiria com o período que a família de José decidiu ir para o Egito, pois lá havia fartura enquanto se passava fome em Israel.
Fonte: Gospel Prime

domingo, 20 de novembro de 2016

Igreja Acev Altaneira realizou seu 2º Encontro de Mulheres

Graça e Paz a todos, na última sexta - feira dia 18 de novembro a Igreja Acev Altaneira realizou seu segundo encontro de mulheres.



O Primeiro encontro de mulheres ocorreu no mês de Maio, sendo intitulado de Chá de Mulheres Excelentes, e teve como preletora a Pastora Charlene (Char) Souza tendo sido sem dúvidas muito proveitoso e edificante, para ver como foi o primeiro encontro de mulheres clique aqui.

Já o Segundo encontro de mulheres teve uma proposta um pouco diferente, a começar que foi gratuito, outra diferença foi a proposta de organização do evento, organizado em formato diferente do anterior. O Segundo encontro de Mulheres ocorreu no pátio da Secretaria de Cultura, e teve como preletora Cristiane Gomes de Nova Olinda, que versou sobre a importância da paciência na vida das mulheres e claro ao final da ministração ouve o tradicional "comes e bebes".

Como dito anteriormente este é o segundo Encontro de Mulheres organizado pela Igreja Acev Altaneira, mas ainda na semana passada, ocorreu o encerramento de um propósito de Oração de Mulheres casadas, que contou com pessoas de diferentes denominações e religiões. Confira algumas fotos do segundo encontro abaixo e clique aqui para ver todas as fotos:















quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Reflitamos #16

Graça e Paz, na postagem de hoje damos sequência à série que consiste na postagem de imagens para que servem para nossa reflexão. Que fale ao coração de todos!





quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Cerca de 40% das mulheres vítimas de violência doméstica são cristãs

Omissão pastoral foi indicada como um dos fatores responsáveis pelo problema



Uma pesquisa realizada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo, indica que cerca de 40% das mulheres que relataram ter sofrido violência doméstica foram de evangélicas. O assunto foi debatido no programa De Tudo Um Pouco, da Rede Super, esta semana. Falaram sobre o assunto o pastor Renato Vieira Matildes e o advogado Antônio Cintra Schmidt.
Os dados apresentados foram coletados de ONGs que ajudam mulheres agredidas. “Não esperávamos encontrar, no nosso campo de pesquisa, quase 40% das atendidas declarando-se evangélicas”, ressalta o documento. Estranhamente, muitas vezes as vítimas não procuraram imediatamente as autoridades.
“A violência do agressor é combatida pelo ‘poder’ da oração. As ‘fraquezas’ de seus maridos são entendidas como ‘investidas do demônio’ então a denúncia de seus companheiros agressores as leva a sentir culpa por, no seu modo de entender, estarem traindo seu pastor, sua igreja e o próprio Deus”, esclarecem as pesquisadoras.
O pastor Renato admite que os números são preocupantes. Também chama atenção que a omissão pastoral seja apontada como uma das causas desse índice elevado. Ele lamentou que muitas vezes a opção dos líderes é dizer: “Olha, vá embora que nós vamos orar e Deus vai fazer a obra”.
Segundo o material divulgado pelo Mackenzie, “O que era um dever, o da denúncia para fazer uso de seu direito de não sofrer violência, passa a ser entendido como uma fraqueza, ou falta de fé na provisão e promessa divina de conversão-transformação de seu cônjuge”.
O convidado do programa lamentou que muitos pastores, ao invés de orientar de forma prática os casais, por vezes acabam colocando barreiras.
Para o advogado presente no De Tudo Um Pouco, uma parcela da responsabilidade recai sobre as próprias mulheres agredidas. Isso por que que muitas delas têm medo ou vergonha de expor o contexto familiar onde estão inseridas. Segundo Cintra, quando as agressões são constantes, mas não são compartilhadas com outras pessoas acaba inviabilizando e retardando as ações judiciais cabíveis.
Sublinhou ainda que “às vezes não é ela quem expõe. Um vizinho, por exemplo, vê uma agressão e pode fazer a denúncia. Feita a denúncia, a polícia vem e dali para a frente não tem mais como parar o processo”.
A Lei Maria da Penha, que visa garantir a segurança feminina e punir os agressores é considerada pela ONU uma das três leis que dão maior proteção às mulheres em todo mundo. Ela fala sobre vários tipos de violência: física, psicológica, sexual e patrimonial. Mesmo assim, ainda carece de ser efetivamente aplicada pelos órgãos públicos na maioria das cidades.
Assista:



Fonte: Gospel Prime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...