sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Um pouco de história faz bem!!! Parte 5

 Graça e Paz a todos, hoje veremos a história da Igreja Anglicana, que seja para a edificação de todos!!



Igreja Anglicana

"A Igreja da Inglaterra (em inglês: Church of England), também denominada Igreja Anglicana ou Anglicanismo é a Igreja e a denominação cristã estabelecida oficialmente na Inglaterra, a matriz principal da atual Comunhão Anglicana ligada à Sé de Canterbury, Inglaterra, bem como é membro-fundador da Comunhão de Porvoo. Fora da Inglaterra, a Igreja Anglicana é geralmente denominada de Igreja Episcopal, principalmente nos Estados Unidos da América e países da América Latina.

A Igreja da Inglaterra compreende-se como católica e reformada:
  • Católica, na medida em que se define como uma parte da Igreja Católica de Jesus Cristo, em perfeita e válida continuidade com a Igreja apostólica.
  • Reformada, na medida em que ela foi moldada por alguns dos princípios doutrinários e institucionais da Reforma Protestante do século XVI, nos princípios presbiterianos (ou calvinistas). O seu caráter mais Reformado encontra-se na expressão dos Trinta e Nove Artigos de Religião, elaborado em 1563 como parte do estabelecimento da via média de religião sob a rainha Elizabeth I da Inglaterra. Os costumes e a liturgia da Igreja da Inglaterra, expresso no Livro de Oração Comum (em inglês, The Book of Common Prayer - BCP), são baseados em tradições da pré-Reforma, com influência dos princípios da Reforma litúrgica e doutrinária de inspiração protestante.
    Porém, compreende-se também como Protestante, na medida em que não está subordinada ao Vaticano nem ao papa..

Origem do cristianismo na Grã-Bretanha

Não se sabe exatamente quando o cristianismo se estabeleceu nas Ilhas Britânicas, mas é certo que já existia antes do século III, possivelmente a partir de missionários fugidos das perseguições às quais os primeiros cristãos estavam sujeitos. Os primeiros registros da presença cristã naquela região foram feitos pelo historiador e escritor Tertuliano, no ano de 208 d.C. Mais tarde, no Concílio de Arles, realizado em 314 d.C. na França, compareceram três bispos de uma Igreja que existia na Inglaterra sem o conhecimento da Igreja Romana.
A primeira Igreja Cristã organizada nas Ilhas Britânicas é a Igreja Celta. O povo Celta já habitava esta região antes mesmo da invasão anglo-saxônica. Esta Igreja, resistindo ao paganismo destes invasores, conseguiu manter uma Igreja Cristã independente, com organização monástica e tribal, sem nenhuma relação com a Igreja de Roma ou qualquer outra, embora mostrasse alguns hábitos e costumes orientais.
No ano de 595 d.C., o Papa Gregório I, também conhecido como Gregório Magno, mandou um grupo de monges beneditinos, chefiado pelo monge Agostinho, prior do Convento de Santo André, na Sicília, para converter a Inglaterra ao Catolicismo. Agostinho foi o primeiro arcebispo de Cantuária (em ingles, Canterbury), que é a Sé Primaz de referência para a atual Comunhão Anglicana, e passou a ser conhecido como Agostinho de Cantuária. Com o tempo, boa parte dos costumes da Igreja celta cedeu à forma latina do cristianismo implantada por Agostinho nas terras inglesas.
Em 1534, a Igreja da Inglaterra se separou em definitivo da Igreja Católica Romana, por iniciativa do rei Henrique VIII, da Casa de Tudor. A princípio havia se mostrado um leal defensor do catolicismo, que fez queimar publicamente os escritos de Lutero. Mas por conta do conflito havido com o Papa Clemente VII, relacionado com o pedido de anulação de seu casamento com Catarina de Aragão, para se casar com Ana Bolena e ter descendentes homens, resolveu romper com Roma. A cisão se deu através do Ato de Supremacia, confiscando todas as propriedades que a Igreja Católica possuía na Inglaterra.
Após a morte de Henrique VIII, a Inglaterra se separou momentaneamente do cisma. Henrique VIII deixou um herdeiro homem, Edward VI, que era protestante. Este teve um reinado curto pela sua morte precoce com apenas 15 anos. Seguindo a linha de sucessão, sua irmã Maria I, filha do primeiro casamento de Henrique VIII com Catarina de Aragão, assume o reinado após a morte de Edward VI. Católica fervorosa, ratificou o Ato de reconciliação da Inglaterra com Roma. Mas o seu reinado foi curto.
A emancipação da Igreja da Inglaterra da autoridade papal, através da iniciativa do rei Henrique VIII, não transformou a Inglaterra num país verdadeiramente protestante, pois a Igreja permaneceu católica quanto à doutrina. Somente no reinado de sua filha, Elisabeth I, a Igreja se firmara no caminho da via média entre catolicismo e protestantismo, característica que mantém até a presente época. Assim, não se pode, historicamente, atribuir a Henrique VIII o título de fundador da Igreja Anglicana.


Anglicanos independentes

Na segunda metade do século 20, por divergências teológicas e pastorais no seio do Anglicanismo, surgiram várias denominações anglicanas independentes, ou continuantes, principalmente na América do Norte, Austrália e em vários países em desenvolvimento. Concomitante a este fenômeno, houve em sentido contrário o aparecimento de movimentos de convergência, nos quais protestantes ou católicos (ex: Velha Igreja Católica) aproximaram-se do Anglicanismo e do Catolicismo e buscaram estabelecer igrejas com doutrinas e práticas anglicanas. Exemplos disso são a Igreja Católica Apostólica Carismática da International Communion of the Charismatic Episcopal Church e a Comunhão Internacional das Igrejas Episcopais Evangélicas.


Anglicanismo no Brasil

O anglicanismo é o mais antigo grupo denominacional protestante em contínua operação no Brasil.
O anglicanismo no Brasil atualmente é multifacetado, complexo e não monolítico. Esse sistema não significa um corpo de doutrina fixo, exceto a aceitação da doutrina contida nos formulários anglicanos. O Anglicanismo é mais uma lealdade aos seus princípios do que uma posição doutrinal
A presença do anglicanismo no Brasil teve início após a vinda da corte portuguesa ao Rio de Janeiro. Com o Tratado de Comércio e Navegação de 1810 entre Portugal e Inglaterra, permitiu-se a construção de igrejas de denominações protestantes, desde que os templos tivessem a aparência de uma residência comum, sem torres ou sinos, e não buscassem a conversão de cristãos católicos brasileiros.
Desta forma, o primeiro templo construído por protestantes no Brasil foi da Igreja Anglicana, considerado também o primeiro na América do Sul, na cidade do Rio de Janeiro. Antes da liberdade de culto aprovada pelo poder régio, os anglicanos residentes no Brasil reuniam-se em residências e navios ingleses para realizarem seus cultos. As primeiras capelanias ficaram subordinadas diretamente à Igreja da Inglaterra, e atendiam somente súditos ingleses. Foram construídas capelas em São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Belém e Recife.

Aproximadamente na década de 1860 houve a tentativa de se implantar a igreja anglicana voltada para o povo brasileiro. Para isso o missionário estadunidense Rev. Richard Holden tentou abrir a primeira missão em Belém do Pará, e depois em Salvador da Bahia, mas essas iniciativas foram mal-sucedidas.

Em 1890 missionários estadunidenses, egressos do Seminário da Virgínia, chegaram ao Rio Grande do Sul, onde estabeleceram as primeiras comunidades brasileiras, subordinadas à Igreja Protestante Episcopal dos Estados Unidos da América (em inglês, The Protestant Episcopal Church of United States of America - PECUSA). Em 1º de junho de 1890, James Watson Morris e Lucien Lee Kinsolving realizaram, na cidade de Porto Alegre, o primeiro culto da Igreja Protestante Episcopal no Sul dos Estados Unidos do Brasil, que foi o primitivo nome da Igreja Anglicana em terras brasileiras. Depois esta passou a ser chamada de Igreja Episcopal Brasileira, de Igreja Episcopal do Brasil e, atualmente, de Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, que se tornou a 19ª Província da Comunhão Anglicana ligada à Sé de Cantuária, Inglaterra após sua emancipação da então Igreja Episcopal dos Estados Unidos da América (em inglês, The Episcopal Church of United States of America - ECUSA).
O anglicanismo consolidou-se entre outras etnias no Brasil: conquistou teuto-brasileiros no Rio Grande do Sul, principalmente pelas atividades de Lindolfo Collor, imigrantes japoneses em São Paulo e Paraná e classe média da Zona da Mata nordestina.
A partir do final da década de 1990, a Igreja Episcopal Anglicana do Brasil começou a ter conflitos internos, à semelhança do ocorrido na Igreja Episcopal dos Estados Unidos da América: questões ligadas ao liberalismo versus ortodoxia e modernismo versus Tradição. Assim, surgem as Igrejas Anglicanas independentes ou continuantes também no Brasil. O fenômeno da fratura no Anglicanismo brasileiro aconteceu como nos demais sistemas eclesiais oriundos da Reforma.

No Brasil, a partir das divisões ocorridas na Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e da chegada de jurisdições autônomas estrangeiras, existem diversas denominações anglicanas. Devido à diversidade das vertentes existentes no anglicanismo (quais sejam: anglo-católica, evangélica, liberal e carismática), encontram-se no País representantes de todas elas. Há, também, denominações (especialmente da vertente "anglo-católica") que, ou são oriundas de dissidências da Igreja Católica Apostólica Brasileira, ou recepcionaram clérigos desta última Igreja, assim como clérigos e religiosos dissidentes da Igreja Católica Apostólica Romana.

O número de congregações das denominações anglicanas presentes no Brasil está entre parênteses, após a identificação de cada Jurisdição. A ordem na qual estão apresentadas não significa juízo algum sobre a sua importância, relevância ou vertente anglicana a que pertencem. Elas estão apresentadas por seções para melhor identificação.

Comunhão Anglicana

  • Igreja Episcopal Anglicana do Brasil. 19ª Província da Comunhão Anglicana unida à Sé de Cantuária. (207)
  • Diocese de Recife - Igreja Anglicana. Sob a autoridade do Primaz da Igreja Anglicana do Cone Sul (Comunhao Anglicana ). (44)
Igrejas independentes:
  • Igreja Anglicana da Virgem Maria. (1)
  • Igreja Anglicana Reformada do Brasil. (16)
Igrejas independentes unidas a uma Comunhão de Igrejas no Exterior
  • Igreja Anglicana do Brasil. Província da The Free Protestant Episcopal Church. (4)
  • Igreja Episcopal Anglicana Livre. Diocese-Membro da The Anglican Church of the Americas. (3)
Igrejas independentes consideradas como Convergentes
  • Igreja Cristã Episcopal. (10)
  • Igreja Episcopal Carismática. (61)
  • Igreja Episcopal do Evangelho Pleno. (1)"


Referências

  1. GOMES, Laurentino. 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história de Portugal e do Brasil. Editora Planeta do Brasil, 2009. Página 187.
  2. EVERY, Edward Francis. The Anglican Church in South America, Chapter I. 1915. Em Project Cantuária
  3. O número de congregações de cada denominação anglicana no Brasil tem sido adquirido nos sítios-web das mesmas. Informação de Janeiro 2013 
 Fonte: Wikipédia


 

0 comentários

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...