sábado, 31 de outubro de 2015

Surgimento e crescimento do Protestantismo em Altaneira-Ce


Graça e paz, hoje dia 31 de Outubro comemora-se o dia da Reforma Protestante, em razão dessa data, postarei a seguir na integra meu artigo de conclusão de curso o qual tem o mesmo título que ilustra essa postagem e aborda a história do movimento protestante em Altaneira, desde seu surgimento até os anos de 2009 à 2010 anos em que foi dado o recorte temporal para a pesquisa e em que o crescimento de protestantes chamou a atenção da população local. Boa Leitura a todos!


Surgimento e crescimento do protestantismo em Altaneira-Ce1
Vinicius Freire Pereira2




Resumo
Há em nosso país, um fenômeno religioso, um vertiginoso crescimento de igrejas protestantes, principalmente de cunho Pentecostal e Neopentecostal. Num país majoritariamente católico é visível o avanço protestante principalmente através de veiculo de transmissão de idéias. O presente artigo tem por objetivo, discutir o avanço protestante em meio à cidade de Altaneira localizada no interior Cearense, cidade esta que, tem 6.821 habitantes segundo o Censo IBGE 2010, de maioria católica na qual também ocorre esse fenômeno religioso acima transcrito, para tal, é necessário que façamos um apanhado histórico desse movimento na mesma, trazendo a discussão até os dias atuais.
Palavras-chave: História, Protestantismo, Pentecostalismo, conversão




Introdução
O Brasil é um pais oficialmente católico, que em sua formação histórica é marcado por um sincretismo religioso, sobretudo com as religiões afro-brasileiras. Recentemente, os protestantes têm crescido em numero e aparecido na mídia. Segundo o censo IBGE 2000, o numero de protestantes no Brasil era de 26 milhões. Como reflexo deste crescimento, dificilmente hoje encontra-se um município, ou mesmo um distrito sem ao menos a presença de uma igreja de cunho protestante. É nesse enfoque que analisaremos a inserção protestante em meio à sociedade altaneirense.
Da Reforma Protestante ao neopentecostalismo no Brasil
O movimento protestante tem origem no século XVI, a partir das discordâncias com as distintas formas de agir por parte da Igreja católica. Assumem maiores pesos nesse contexto de contradições, as indulgências e a vida que alguns representantes da instituição religiosa vinham levando. Essas eram algumas das formas dos clérigos adquirirem poder, e com este interferir na vida da população da época, em especial os camponeses. Todo esse conjunto de fatores agregados a outros de cunho não só político, mas também social e ideológico fizeram com que Martinho Lutero e posteriormente João Calvino não o visse com bons olhos. Sendo assim, essas crises que vinham assolando o continente europeu desde os séculos XII e XIII, veio a explodir no século XVI com as idéias de reformas doutrinárias e contestações dos poderes políticos que a igreja católica possuía, criticas essas vindas principalmente de Lutero. Aos poucos essas idéias forma ganhando aderência entre a população camponesa e, sustentabilidade para logo depois se expandir pelo mundo.
Desde então, este movimento religioso que se difundiu no século XVI, fazendo com que a hegemonia ou a primazia do catolicismo fosse colocada em xeque, inspirando milhares de pessoas em todo o mundo, levando-as a se inserir no protestantismo e, mediante isso construindo diversas igrejas que não comungavam com a doutrina católica. Hoje esse movimento continua a crescer em ritmo constante e acelerado, inclusive no Brasil. Segundo Antonio Gouvêa Mendonça, em seu livro O Celeste Porvir3 a inserção dos protestantes no Brasil se deu mediante quatro fases quais sejam: a primeira, o protestantismo de invasão, que ocorreu com a vinda de calvinistas franceses, o segundo momento aconteceu no inicio do século XIX com a entrada de alemães que professavam a doutrina Luterana, momento que foi denominado de protestantismo de imigração. Tem-se ainda a fase do protestantismo de missão, fase essa, em que grupos provenientes dos Estados Unidos vieram para o Brasil no ano de 1845, dentre estes pode-se destacar os Metodistas, os Presbiterianos e também os batistas. Ainda pode-se dizer que o ano de 1868 foi o período da instalação da primeira Igreja Batista no Brasil. Enfim, vários grupos protestantes entraram no Brasil e que se expandiram por diversos Estados, não obstante, ainda é importante destacar nesse contexto, que todo o processo ocorreu de forma lenta e progressiva, ou seja, o desenvolvimento deste movimento não só no Brasil, mas em todos os outros países em que ele adentrou, de forma processual: a quarta e ultima fase de afirmação do movimento protestante no Brasil, ocorreu no século XX, mas especificamente em 1910 com o protestantismo evangelizador, mais conhecido como movimento pentecostal, destacando-se neste contexto a igreja evangélica Assembléia de Deus.
No que concerne ao pentecostalismo, pode ser dividido em três fases segundo diz Mariano citado por Etiane Caloy e Marionilde Dias:
A chamada primeira onda ou pentecostalismo clássico, que corresponde ao período situado entre 1910 e 1950. No Brasil, a primeira organização foi fundada por missionários Italianos, a Congregação Cristã no Brasil (1910, em São Paulo), imediatamente após, funda-se em 1911, a Assembléia de Deus no Pará, por missionários suécos, que se expande em todo território nacional.
A segunda onda ou pentecostalismo neoclássico, que associou o dom de falar em línguas (glossolalia) como sinal do batismo do Espírito Santo,à ‘cura divina’”.4
Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava”. (Atos 2:4 NVI). No Brasil, essa segunda fase se inicia com a chegada de dois missionários norte-americanos, que em 1951 fundam a Igreja do Evangelho Quadrangular, podemos destacar ainda a Igreja O Brasil para Cristo (1955, São Paulo), a Deus é Amor (1962, São Paulo), e a Casa de Benção (1964, Minas Gerais).
Por fim temos a Terceira Onda, ou, Neopentecostalismo, que se inicia no ano de 1977, com a fundação da Igreja Universal do Reino de Deus por Edir Macedo, podemos destacar ainda a Igreja Internacional da Graça de Deus (1980, Rio de Janeiro) fundada pelo cunhado do Edir Macedo, Ronildo Ribeiro Soares, ou R.R. Soares como é conhecido, e mais recentemente, a Igreja Mundial do Poder de Deus, (1998) fundada pelo ex-bispo da IURD5 Valdemiro Santiago. Essas igrejas caracterizam-se além do “falar em línguas”, pelo exorcismo “Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas”. (Evangelho de Marcos 16:17NVI) e pela teologia da prosperidade, que tem origem nos Estados Unidos na década de 40, sendo reconhecida como doutrina na década de 70, quando se difundiu pelo meio evangélico, “possuía um forte cunho de auto-ajuda e valorização do individuo, agregando crenças sobre cura, prosperidade e poder da fé através da confição da ‘Palavra’6 em voz alta e ‘No Nome de Jesus’7 para recebimento das bençãos almejadas; por meio da confissão positiva o cristão compreende que tem direito a tudo de bom e de melhor que a vida pode oferecer: saúde perfeita, riqueza material, poder para subjulgar Satanás, uma vida plena de felicidade e sem problemas”.8
O Protestantismo em Altaneira
Para melhor situarmos a discussão, é preciso traçar alguns dados acerca do município de Altaneira. Altaneira é um município que foi emancipado no ano de 1958, município relativamente jovem, com aproximadamente 6.486 habitantes segundo Censo IBGE de 2006, tendo como principais atividades econômicas o comércio e a agricultura, sendo que a prefeitura municipal é a principal empregadora. Tendo como principais comemorações, a festa de Santa Tereza D’Ávila, padroeira do município realizada em Outubro e as festividades acerca da emancipação municipal, realizadas em Dezembro. Sendo sua população formada por maioria católica.
Neste Artigo, analisaremos os fatores inerentes ao crescimento do movimento protestante em Altaneira, trazendo para isso o surgimento das primeiras igrejas evangélicas, através da análise de entrevistas realizadas com lideres e membros de duas igrejas protestantes, Assembléia de Deus ministério templo central, e a Igreja Internacional da Graça de Deus. Altaneira conta hoje com seis igrejas evangélicas, quais sejam: Congregação Cristã no Brasil, Assembléia de Deus ministério templo central, Assembléia de Deus ministério Madureira, Assembléia de Deus Impactando as Nações, Igreja Internacional da Graça de Deus e a Igreja Batista Renovada.
Para tal, escolhemos estudar duas das sieis igrejas protestantes existentes em Altaneira, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus Templo Central, e a Igreja Internacional da Graça de Deus.
A escolha das duas igrejas supracitadas, para a análise se deu pelo fato de que a Assembléia de Deus Templo Central foi a segunda igreja evangélica do município e pelo fato de que a mesma encontra-se na maioria dos municípios brasileiros, e é uma das primeiras igrejas brasileiras de cunho pentecostal, já no que concerne à IIGD7 pertence a onda de Igrejas neopentecostais, com exatos 30 anos de fundação e com 5 anos em Altaneira, além das diferenças doutrinárias de ambas e é claro porque são duas das igrejas que mais aparecem na mídia, quais sejam:rádio, internet,mídia impressa e principalmente a televisão.
Segundo José Juciêr Bernardo9, o movimento protestante “chegou” em Altaneira na década de 1980, por conta disso, é que tomaremos o inicio da década de 1980 como marco inicial desse artigo, até o ano de 2008, quando o protestantismo altaneirense, mostrou um crescimento maior num pequeno espaço de tempo, que vai de 2005 até 2008, sendo que nos anos anteriores, o mesmo também avançava, mas em ritmo muito mais lento. Ainda, segundo José Juciêr Bernardo, um altaneirense que voltava de São Paulo, conhecido como “Ciço crente”, que freqüentava a Igreja Congregação Crista no Brasil, começou a fazer reuniões em algumas casas, utilizando ainda, alguns prédios, posteriormente fundou a Igreja Congregação Cristã na cidade de Altaneira, tornando-se esta a primeira Igreja Evangélica no município, “primeiro veio esse rapaz, esse cidadão da Cristã e ele era daqui, mas ele indo embora lá para onde ele foi, foi pra São Paulo, lá ele conheceu o evangelho... então ele veio pra cá com essa intenção de ser um cooperador e abrir um trabalho.” Concomitantemente a isso, outro homem vindo de São Paulo, começou também a fazer reuniões nas casas de moradores do sitio Serra do Valério, zona rural do município de Altaneira, que fica aproximadamente 6 Km da sede deste mesmo município. Sendo este homem membro da Assembléia de Deus templo central, e tio da primeira convertida da mesma denominação a “irmã Marina”. No que confere à Assembléia de Deus, a sua instalação oficial se deu através da vinda de pastores das cidades circunvizinhas, principalmente Farias Brito e Nova Olinda. Já no que diz respeito à Igreja Internacional da Graça de Deus, ela chegou à Altaneira no ano de 2005, começando graças a uma mulher que já freqüentava a mesma na cidade do Crato, sendo ela Altaneirense, começou a fazer cultos em algumas residências, surgindo posteriormente o interesse de “trazer” a Igreja da Graça para Altaneira, a partir daí, a igreja foi instituída no município acima referido, sendo que a mesma começou com 5 membros, todos mulheres.
Lembrando que é colocado aqui um pequeno histórico da Assembléia de Deus Templo Central e da Igreja Internacional da Graça de Deus em Altaneira, pois analisaremos a temática a partir dessas duas denominações, como já foi citado anteriormente, pelo fato de que a primeira delas, é uma das mais antigas do Brasil e do município a que se refere a pesquisa, alem dela ser representante do movimento pentecostal e se encontrar em quase todos os municípios brasileiros, sem esquecer é claro de que ambas, utilizam muito da mídia em suas diversas formas. A IIGD10 entra pelo fato dela ser uma igreja representante do movimento neopentecostal, que apresenta um crescimento absurdo nos últimos 20 a 30 anos, soma-se a isso o fato de que ela é um das igrejas que surgiram recentemente em Altaneira, com apenas cinco anos de abertura e é uma das que mais cresce no mesmo município, tendo hoje a média de 40 fiéis por reunião.
Ao vermos o histórico do movimento protestante em Altaneira, notamos que ocorre que da mesma forma como no surgimento do movimento pentecostal no Brasil, a primeira igreja em ambos os casos a surgir foi a Congregação Cristã, após veio a Assembléia de Deus e alguns anos depois surgiu a primeira igreja neopentecostal. Além disso, nos chama atenção o fato de em Altaneira existem apenas Igrejas de cunho pentecostal, não há igrejas históricas, sobre isso assim discorre Regina Reyes Novaes “Os Pentecostais estão sobretudo nas áreas mais pobres e nas cidades... Mas pode-se observar a olho nu – e várias pesquisas confirmam – que é nas áreas pobres que igrejas pentecostais se alastram”11. Mas em uma cidade de pequeno porte, localizada no interior do ceará, majoritariamente católica, o que levaria a uma conversão? O que faria uma pessoa romper com a tradição religiosa e adentrar em uma nova realidade religiosa?
Vejamos o depoimento do pastor Luis Vieira: “O pessoal tão ficando esclarecido, procurando assim ler a bíblia e a bíblia diz com mais afinidade, e são os pastores que procuram cada vez mais mostrar o conteúdo da bíblia sagrada que é a palavra de Deus.”12 Vemos, através deste depoimento, que para este pastor, o crescimento de evangélicos em Altaneira se dá a um “esclarecimento” por meio da leitura bíblica, e da pregação dos pastores. Mas será que apenas a revelação divina através da “palavra” de Deus, é o motivo para a ascensão protestante, sobretudo pentecostal? Não seriam também fatores terrenos os responsáveis por esse fenômeno? Será que também não fazem parte destas motivações fatores sociais?
Esses fatores sociais podem ser problemas pessoais, familiares e financeiros. Dentro das entrevistas coletadas quatro delas nos chamam atenção para cada um desses fatores citados. A entrevista realizada com Brígida Sauana13 deixa claro que a mesma passou a procurar a igreja evangélica, por problemas em sua família sobretudo a partir de um acidente no qual sua mãe sobreviveu sem seqüelas, “O que me fez mudar...foi um acidente que teve na minha família,...,ao minha mãe sofrer um acidente, a conseqüência era ela ficar cheia de seqüelas, e ela saiu sem nenhuma seqüela, isso me fez ver que isso é obra de um ser sobrenatural.”14 Esse depoimento mostra que o acidente foi o gatilho para que ela procurasse uma igreja evangélica, isso levanta outra questão, por que ela procurou uma igreja evangélica e não a católica por exemplo?
Outros depoimentos que nos chama atenção é o de Severina Alencar Soares15 que falou do inicio da Igreja da Graça em Altaneira, citando que no inicio a igreja supracitada era conhecida como a igreja das “chifrudas”, pois no seu inicio era freqüentada por um pequeno grupo de mulheres, que em sua maioria enfrentavam problemas no casamento, e o depoimento do pastor Antonio Flavio Gomes Filho16 , que afirma ter se convertido por causa de problemas financeiros, o mesmo também afirmou que muitas pessoas procuram a igreja por problemas com drogas, principalmente do álcool.
A política entra nesse contexto, uma vez que Altaneira é uma cidade de pequeno porte, com aproximadamente 6.486 habitantes, e a política faz parte da vida do altaneirense, e quando nos refirimos a política, fazemos alusão a política partidária, uma vez que a maioria dos partidários da administração da época, são em sua grande maioria católicos, o fato é que na sociedade altaneirense, coloca-se que a Igreja da Graça, cresceu por questões políticas, pois para alguns moradores, segundo a obreira Severina, colocam que as pessoas que fazem parte da oposição política deixaram a igreja católica e foram para a igreja citada anteriormente, sendo que a mesma, já foi conhecida por igreja dos “pé-de-boi”17, referencia à oposição política altaneirense.
No tange a possíveis fatores intelectuais na conversão de fiéis, estamos nos referindo ao método de interpretação, e porque não, de pregação da bíblia, como pudemos ver no depoimento do pastor Luis Vieira, ademais, devemos também levar em consideração, as práticas e doutrinas dessas igrejas, o que nos leva a outros questionamentos, como: Quais as práticas e doutrinas dessas igrejas? E qual é o método de evangelização utilizado por elas? Será que o fato de os lideres dessas igrejas se exporem na TV aberta reflete no crescimento dessas igrejas? E é claro a questão central, por que da adesão às igrejas evangélicas? O que elas oferecem?
Dentro de uma temática tão densa como essa, outros tipos de questionamentos podem ser feitos, essas problemáticas são a chave para entendermos esse fenômeno religioso que mexe com as estruturas sociais deste pequeno município, que reflete a tendência que ocorre em todo Brasil, no que se trata deste assunto.
A exposição midiática é sem duvida um dos fatores responsáveis pelo crescimento do protestantismo de cunho pentecostal, “A história do pentecostalismo no Brasil acompanha de perto a evolução de nossas telecomunicações.”18 “Cultos, curas, testemunhos, pregações podem hoje ser acompanhados ao vivo.”19 Na realidade da pequena Altaneira, não é diferente, o principal veiculo de comunicação local, a rádio comunitária também é usada por pastores para “levar a palavra de Deus” aos ouvintes. A mídia televisiva pode ser incluída nos fatores que levaram ao aumento de protestantes em Altaneira, uma vez que as igrejas compram horários em canais de TV aberta e inclusive algumas tendo seu próprio canal, como é o caso da Igreja da Graça que tem um canal chamado RIT TV, no qual exibe os cultos ao vivo da sede da igreja localizada em São Paulo.
A visibilidade social dos evangélicos também influi na conversão de fiéis, ser aceito ou bem visto na sociedade é sem duvida um atrativo “Desempregados em geral se valem de sua filiação religiosa como um atributo positivo a mais na disputa por postos de trabalho.”20 Nas palavras do Pr. Luis Vieira a forma como os altaneirenses vêem a vida dos evangélicos influi na conversão de novos fiéis:
Quando aquela pessoa chega na igreja... vai ver o convívio social, vai ver o convívio evangélico, que que vai fazer? Vai nascer uma união, e os vizinhos começam a olhar e dizer assim: ‘olha fulano de tal era assim, assim, assim e assim, mas agora ta indo pra igreja, tá sendo uma benção.’ Procura e vai também.”21
A partir do depoimento do pastor, vemos o quão importante para a conversão de um fiel é o testemunho “Os ‘testemunhos’ são muito importantes em seus cultos. Através deles os fiéis dão publicamente a conhecer os problemas e as soluções encontradas para questões pessoais e familiares, de ordem financeira, afetiva, de saúde.”22.


Considerações Finais
A despeito da temática abordada, no que concerne ao protestantismo em Altaneira, podemos identificar uma continuidade da história do pentecostalismo no Brasil, não só pelo fato da ordem no qual foram se instalando as igrejas, mas também pelo fato de que da mesma forma como o movimento pentecostal surgiu nos Estados Unidos, e depois chegou ao Brasil, em Altaneira, as igrejas surgiram graças a pessoas vindas de outros estados, seja retornando à cidade natal, ou vindas de outras naturalidades. Sem sombra de duvidas não podemos identificar um fator exclusivo para este fenômeno, mas sim vários fatores que culminam num mesmo desfecho.
São os testemunhos, a forma da pregação, os métodos de evangelismo, ou seja, levar adiante a “palavra de Deus”, seja através do rádio, da televisão, da internet, que o movimento protestante – pentecostal altaneirense tem se desenvolvido, isso não equivale a dizer que este não possua nenhum vinculo com outros fatores de origem econômico, sociopolítico.
Não obstante, não estamos querendo afirmar que os fatos de cunho terreno se sobressaiam aos religiosos, diante disto, queremos ainda expor que entendemos o assunto em foco, como sendo um momento de interação e troca de experiências entre as pessoas, pois a manifestação evangélica em Altaneira não se dissocia da realidade pela qual as pessoas estão inseridas.


Relação dos entrevistados
Entrevistas realizadas:
Igreja Evangélica Assembléia de Deus
José Juciêr Bernardo. 43 anos. Presbítero;
Luis Vieira Assunção. 42 anos. Pastor;
Maria José Ferreira Lima (Tais). 17 anos. Membro;
Mozart Peixoto Soares. 73 anos. Membro;
Igreja Internacional da Graça de Deus
Antonio Flávio Gomes Filho. 26 anos. Pastor;
Antonio Pereira da Silva (Antonio de Kaci). 30 anos. Membro;
Brígida Sauana Nogueira Rufino. 18 anos. Obreira;
Severina Alencar Soares (Eliene). 47 anos. Obreira;


Referências Bibliográficas
ALBERTI, Verena. Manual de história oral: A experiência do CPDOC. 3ª Ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.
BARROS, José D’assunção. O campo da história: especialidades e abordagens. 6ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2009
Bíblia Sagrada Nova versão Internacional. 9ª Ed. Editora Geográfica, 2000.
CÉSAR, Elben M. Lenz. História da Evangelização do Brasil: dos jesuítas aos neopentecostais 1ª Ed. Viçosa: Editora Ultimato, 2000.
FERREIRA, Fábio Alves. O campo religioso brasileiro: pesquisas e produção do conhecimento – à guisa do movimento pentecostal. Revista Espaço Acadêmico, nº 106, PP 26-31; 2010.
LUIZETTO, Flavio. Reformas religiosas. São Paulo, Contexto, 1998.
MACHADO, Maria das dores Campos. Olhando as mulheres pentecostais através do espelho. In VALLA, Victor Vincent (Org). Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.
NOVAES, Regina Reis. Pentecostalismo, política, mídia e favela. In VALLA, Victor Vincent (Org). Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.
OLIVEIRA, Raimundo de. Seitas e Heresias: um sinal do fim dos tempos. Rio de Janeiro, CPAD, 2002.
Oro, Ari Pedro. A política da Igreja Universal e seus reflexos nos campos religioso e político Brasileiros. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 18, nº 53, PP 53-69; 2003.
PALEARI, Giorgio. Religiões do povo. São Paulo, Edições, 1990.
PIERUCCI, Antônio Flávio. "Bye bye , Brasil": o declínio das religiões tradicionais no Censo 2000. Estud. av. [online]. 2004, vol.18, n.52, pp. 17-28.
SOUZA, Etiane Caloy Bovkalovsk de e MAGALHÃES, Marionilde Dias Bripohl de. Os pentecostais: entre a fé e a política. Revista Brasileira de História. São Paulo, v22, nº 43, PP 85-105; 2002.
1 Artigo de conclusão do curso de Licenciatura Plena em História pela Universidade Regional do Cariri-URCA
2 Aluno Regularmente Matriculado na Universidade Regional do Cariri – URCA, Cursando o VIII Semestre do curso de História no período Noturno; vfreirepereira@bol.com.br


3 Sobre isso ver PALEARI, Giorgio. Religiões dos povos. São Paulo, Edições, 1990
4 SOUZA, Etiane Caloy Bovkalovski de e MAGALHÃES, Marionilde Dias Brepohl. Os pentecostais: entre a fé e a política. In: Revista Brasileira de História, v.22, nº43, P.87.


5 Igreja Universal do Reino de Deus.
6 O sentido de “Palavra” refere-se ao exposto na Bíblia Sagrada.
7 No que se refere a isso, os neopentecostais utilizam-se dessa passagem bíblica “E eu farei o que vocês pedirem em meu nome, para que o Pai seja glorificado no filho.” (João 14:13 NVI), para justificar essa doutrina.


8 Id.Ibid. p.95.
9 Presbítero da Igreja Assembléia de Deus Templo Central


10 Igreja Internacional da Graça de Deus
11 NOVAES, Regina Reis. Pentecostalismo, política, mídia e favela. In VALLA, Victor Vincent (Org).Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.


12 Entrevista realizada no dia 04/07/2009


13 Brígida Sauana Nogueira Rufino é obreira da Igreja Internacional da Graça de Deus.


14 Entrevista realizada no dia 17/07/2009.


15 Obreira da Igreja Internacional da Graça de Deus.


16 Pastor da Igreja Internacional da Graça de Deus.
17 Nomenclatura dada aos partidários da oposição política em Altaneira.
18 NOVAES, Regina Reis. Pentecostalismo, política, mídia e favela. In VALLA, Victor Vincent (Org).Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.


19 Id.Ibid.p.59
20 Id.Ibid.p.68
21 Pastor da Igreja Evangélica Assembléia de Deus templo Central

22 NOVAES, Regina Reis. Pentecostalismo, política, mídia e favela. In VALLA, Victor Vincent (Org).Religião e cultura popular. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.


0 comentários

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...