Como sei o que é uma seita?

Estudo retirado do site do Ministério CACP

Igreja em Belém faz ceia para moradores de rua

A ação foi desenvolvida por voluntários da Assembleia de Deus

OEstátua de faraó encontrada em Israel pode comprovar relatos do Livro de Josué

Arqueólogos ainda não identificaram quem é retratado na peça encontrada em Hazor

Pastor fecha igreja e evangeliza nas ruas

Carlos Zacarkim afirma que “enquanto Deus não mandar parar, sigo firme”

Arqueólogo confirma a existência de 53 personagens bíblicos

Argumentos incontestes atingem quem defende que “Bíblia é ficção”

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Ministério Nissí realizará comemoração do dia das Crianças

Graça e paz a todos, é com muita alegria que divulgamos mais uma comemoração alusiva ao Dia das Crianças.



Desde o ano de 2014 procuramos realizar alguma ação relacionada ao Dia das Crianças, todos contando com parcerias, em 2014 contamos com a parceria da Visitação de Deus, e realizamos um momento com danças, peça, brincadeiras para as comunidades do Córrego e Tabuleiro, já em 2015 e 2016 contamos com a parceria da Igreja Acev, em 2015 mais uma vez os sítios Córrego e Tabuleiro foram contemplados, realizamos brincadeiras, peças, distribuição de balas, pirulitos, pipoca, e claro um culto infantil com o tema Arca de Noé, foi sem dúvidas um dia prazeroso para todos os envolvidos.

Em 2016 mais uma vez em parceria com a Igreja Acev, realizamos dessa vez na zona urbana do município, no bairro Zé Rael, contando mais uma vez com brincadeiras, distribuição de guloseimas, brincadeiras, peça teatral, danças, e ao final distribuímos alimentos para as famílias residentes no bairro.

A ser realizado no dia 28 do corrente mês, o evento tem como alvo dessa vez o bairro da maniçoba, sendo esse um desafio muito grande para nós, uma vez que promoveremos este momento de forma completamente independente e sem parcerias, claro que a comemoração contará com brincadeiras, ministração da Palavra, brinquedos como pula - pula, por exemplo, distribuição de pirulitos, balas, bom-bom, pipoca e salgadinhos, estamos recebendo doações dos produtos citados para que possam ser distribuídos às crianças do bairro. Para realizar a doação pode entrar em contato através do whatsapp (88) 99207-9691, contamos com a ajuda e o apoio de todos.

Clique nos links a seguir para ver como foram as ações nos anos anteriores: 20142015 e 2016

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Arqueólogos descobrem “anfiteatro perdido” embaixo do Muro das Lamentações

“Uma após a outra, as descobertas arqueológicas mostram a herança judaica do nosso povo”, comemora rabino.

por Jarbas Aragão



Uma grande descoberta foi anunciada por arqueólogos israelenses esta semana. Trata-se de um anfiteatro romano com mais de 1800 anos de idade, localizado oito metros abaixo do Muro das Lamentações, no centro da Cidade Velha de Jerusalém.
Eles também revelaram mais um pedaço do Muro que estava soterrado havia pelo menos 1700 anos, provavelmente após um terremoto.
O Muro das Lamentações é considerado o local mais sagrado para o judaísmo, estando no centro de uma disputa com os muçulmanos que negam ter havido um Templo no local. Após as decisões da UNESCO dando vitória aos islâmicos, aumentaram as pressões sobre uma decisão sobre quem tem mais direito ao local.
O Muro, visitado por cerca de três milhões de pessoas por ano, é na verdade a contenção da estrutura construída pelo rei Herodes, que governou a Judeia entre 37 a.C. até 4 d.C. Ele é tudo o que restou da estrutura do Segundo Templo, que foi destruído pelos romanos no ano 70 d.C.
Existem oito “níveis” do Muro das Lamentações desenterrados pelos arqueólogos ao longo dos anos. Algumas partes continuam bastante preservadas, apesar de terem ficado enterradas por milênios. O trecho agora revelado fica abaixo do chamado “Arco de Wilson”, uma das passagens onde, na época de Jesus Cristo, os judeus usavam para subir até o Monte do Templo. Originalmente, ele tinha 13 metros de altura.


O anfiteatro romano mostrado ao público agora tinha 200 assentos e confirma os relatos dos historiadores Flávio Josefo sobre essa construção junto à muralha original. Centenas de peças foram desencavadas, incluindo vasos de cerâmica e moedas que confirmam a datação.
Em 1864, o arqueólogo britânico Charles William Wilson fez escavações no local e descobriu o arco que leva seu nome. Contudo, ele não conseguiu achar o anfiteatro descrito nos livros de Flávio Josefo e outras fontes históricas sobre o período.
O arqueólogo Joe Uziel, da Autoridade de Antiguidades de Israel, explica: “Na perspectiva dos pesquisadores, está é uma descoberta sensacional, uma verdadeira surpresa. Nosso objetivo era datar o Arco de Wilson, não imaginávamos que acabaríamos solucionando um dos maiores mistérios de Jerusalém: o anfiteatro perdido.”
A arqueóloga Tehila Lieberman, que também participa das escavações, afirma que não há previsão de quando o anfiteatro poderá ser aberto para a visitação do público, mas acredita que isso deve ocorrem “em breve”. Ela destaca que o anfiteatro, também chamado de Odeon, era um importante local de laser durante o período em que a cidade estava totalmente sobre o governo romano, sendo rebatizada como Aelia Capitolina.

Palestinos não apoiam escavações no local

As novas escavações na Cidade Velha de Jerusalém foram criticadas por líderes palestinos, pois elas acabam por revelar a verdade sobre o local. A narrativa islâmica é que toda a parte Oriental de Jerusalém pertence ao Estado palestino.
A descoberta tem um valor ainda maior por que os judeus comemoram os 50 anos da unificação de Jerusalém, como resultado da Guerra dos Seis Dias, em 1967. Contudo, o monte do Templo foi usado no acordo de paz e continuou sob o governo da Jordânia, que dominava a porção oriental da cidade.
O rabino do Muro das Lamentações, Shmuel Rabinowitz, comemorou a descoberta: “Uma após a outra, as descobertas arqueológicas permitem que nossa geração realmente toque na história antiga e herança judaica do nosso povo, mostrando sua conexão profunda com Jerusalém”.
Os palestinos dizem que as escavações no Monte do Templo é parte de um plano judaico para “enfraquecer” os alicerces das duas mesquitas que existem hoje no local, visando a construção do Terceiro Templo.
A disputa pela capital Jerusalém é um dos pontos de maior conflito entre israelenses e palestinos.
Contudo, o diretor da Autoridade de Antiguidades de Israel, Israel Hasson, acredita que as descobertas no local são muito mais importante que as questões políticas: “Espero que esses achados ajudem-nos a avançar, para que todos possamos nos impressionar com o passado glorioso de Jerusalém”. Com informações Times of Israel
Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

A Estrela de Belém estreia dia 30 de novembro nos cinemas brasileiros

Cristina Mel, Caíque Oliveira e Vini Rodrigues estão no elenco de dubladores da animação


Durante anos, a história do primeiro Natal foi passada de geração em geração. No dia 30 de novembro, os brasileiros poderão assistir a essa linda trajetória através de um novo olhar, o dos animais.

Do mesmo estúdio de“Tá Chovendo Hambúrguer” e“Os Smurfs”“A Estrela de Belém” é o mais novo lançamento da Sony Pictures, com produção da Affirm Films, estúdio especializado em filmes baseados na fé como “Milagres do Paraíso”, “Ressureição”, “À Prova de Fogo”,entre outros.

Na mais nova animação da Sony Pictures Animation, A Estrela, um pequeno e destemido burro chamado Bo anseia por uma vida que vá além da cota diária de trabalho no moinho da vila. Um dia ele encontra coragem para fugir, e finalmente viver as aventuras que tanto sonhou. Em sua jornada, ele logo se alia à Ruth, uma ovelha adorável que se perdeu de seu bando; e à Davi, um pombo com aspirações grandiosas. E junto com 3 sábios camelos e outros animais excêntricos de um estábulo, Bo e seus novos amigos seguem A Estrela e se tornam heróis improváveis na maior história já contada – o primeiro Natal.
 


Nos EUA, a comédia conta com as vozes de Oprah Winfrey, Steven Yeun, Kelly Clarkson, e música especial de Mariah Carey. No Brasil, a renomada cantora Cristina Mel dubla Maria, mãe de Jesus,enquanto Caíque Oliveira, ator e líder do ministério Jeová Nissi, interpreta o cachorro Tadeu e Vini Rodrigues, do canal Tô Solto, dá voz ao pombo Davi.

Dirigido pelo indicado ao Oscar, Timothy Reckart (Head Over Heels) e produzido por  DeVon Franklin (Milagres do Paraíso), junto com Lisa Henson e Brian Henson e Jenni Magee Cook, “A Estrela de Belém” foi escrito e roteirizado por Carlos Kotkin e Simon Moore. Os efeitos especiais ficaram por conta do  Cinesite Studios ( Vingadores, Guerra Infinita, Deuses do Egito, X- Men Apocalipse)

Produção:
DeVon Franklin
Warren Franklin
Lisa Henson
Brian Henson
Jenni Magee Cook

Direção:
Timothy Reckart

Roteiro:
Carlos Kotkin
Simon Moore

Nas vozes de:
Cristina Mel, cantora,  Maria
Caíque Oliveira, ator, Jeová Nissi,– Tadeu, o cachorro
Vini Rodrigues – Youtuber/ Tô Solto – Davi, o pombo
 
Sobre A Estrela de Belém ( The Star ) - Sinopse

Na mais nova animação da Sony Pictures Animation, A Estrela de Belém, um pequeno e destemido burro chamado Bo anseia por uma vida que vá além da cota diária de trabalho no moinho da vila. Um dia ele encontra coragem para fugir, e finalmente viver as aventuras que tanto sonhou. Em sua jornada, ele logo se alia à Ruth, uma ovelha adorável que se perdeu de seu bando; e à Davi , um pombo com aspirações grandiosas. E junto com 3 sábios camelos e outros animais excêntricos de um estábulo, Bo e seus novos amigos seguem A Estrela e se tornam heróis improváveis na maior história já contada – o primeiro Natal.

Com informações da 360 WayUp

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

“Deus não está morto 3” começa a ser filmado

Terceiro longa da série ganha o título oficial

por Jarbas Aragão


O filme “Deus não está morto”, de 2014, foi um grande sucesso. Sua média de público, e de arrecadação, foi recorde para produções religiosas em vários países. A trama é a história fictícia de um estudante universitário que desafia um professor ateu. Kevin Sorbo, que ficou conhecido mundialmente pelo seriado Hércules, interpreta o professor Radisson, que persegue seus alunos cristãos.
Dois anos depois, ganhou uma espécie de continuação, contou a história da professora cristã Grace (Melissa Joan Hart) que, ao responder uma pergunta sobre Jesus em sala de aula de uma escola pública, acaba entrando em uma situação muito difícil, sofrendo perseguições por ter exposto sua fé em público.
A produtora Pureflix anunciou oficialmente que a gravação do terceiro longa da série começa a ser gravado dia 7 de outubro e deve chegar aos cinemas de todo o mundo em março de 2018.
O ator e cineasta David A.R. White, idealizador da trilogia, estava trabalhando no roteiro desde o ano passado. Ele explica que muita gente pediu uma terceira parte para o filme, mas suas decisões são tomadas após muita oração.
“Não queremos apressar em produção, mas estamos entusiasmados com o que vem por aí”, explica. “Sairá em breve”, afirma, lembrando que o espaço entre o primeiro e o segundo foi de dois anos.
Em uma das imagens divulgadas por ele nas redes sociais é possível ver que o filme já tem título oficial “God is not dead: a light in the darkness” [Deus não está morto 3: uma luz na escuridão].
Entre os detalhes já revelados está o fato que, desta vez, o centro da trama não é uma pessoa, mas a igreja do pastor David. Uma juíza ameaça demolir o templo e tudo revolve em torno da luta dos fiéis continuarem cultuando no mesmo lugar. Ao mesmo tempo, o pastor tem problemas com uma universidade, que abre um processo contra eles. Com informações Christian Post
Fonte: Gospel Prime
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...